sexta-feira, julho 14, 2006

OH GOD, OH DARWIN!

Some homeopathic practices tell people they need not take conventional anti-malaria drugs in high-risk parts of the world, an investigation by BBC2's Newsnight has revealed.
Instead the clinics say that their remedies are sufficient to protect against malaria.

Each year two million Britons travel to parts of the world where malaria is rife. About 2,000 of them return having contracted the disease.

In the vast majority of cases they have fallen ill because they have not taken any anti-malaria tablets.

But doctors have begun noticing some cases where patients have taken homeopathic remedies instead of licensed medicines.

Qualquer pessoa que nao consiga chegar sozinha a conclusao que se existisse algum remedio dito "natural" eficaz contra a malaria ja estaria a ser usado ha centenas de anos pelas populacoes das zonas onde grassa o anopheles faz claramente parte dos subgrupos humanos com menos de dois neuronios funcionais. Nestes casos, talvez se devesse optar pela continuacao da terapeutica holistica e homeopatica- nao se deve impedir a seleccao natural de prosseguir o seu curso e estes individuos de se juntarem aos dodos, aos Neandertais e as galinhas com dentes em algum beco sem saida da Teoria da Evolucao.

6 Comments:

At 5:15 da manhã, Blogger Joana said...

Antes que alguem se possa sentir ofendid@:
Com este post nao pretendo afirmar que a homeopatia e charlatanismo,ha inumeras pessoas que a praticam que sao responsaveis e informadas.Como em todas as actividades humanas existam intrujoes e credulos que se deixam levar por eles

 
At 11:55 da manhã, Blogger papalagui said...

Não tenho nada contra a homeopatia mas não hesito, e nem sequer é uma hipotese de outra forma, em consultar um médico digamos convencional em caso de doença. Acabo por sentir que há uma certa banha-da-cobra no tipo de discurso e abordagem. Também não quero ofender ninguém, obviamente, opiniões são opiniões.

 
At 12:12 da tarde, Blogger Joana said...

mas sabes o que e que me deixa mais perplexa, Leonor? e que a maioria das pessoas que recorrem a este tipo de coisa tem um nivel de instrucao relativamente alto. Uma coisa e recorrer as medicinas alternativas-cada qual e livre de se tratar como bem entender, outra e ignorar todo o bom senso e formacao previa e acreditar em coisas tipo "este medicamente altera a forma da sua aura de modo a torna-la impermeavel ao vector da malaria"-e isto nao sou eu a inventar, ouvi mesmo uma jornalista no noticiario a ler isto na bula de um remedio dito "homeopatico"

 
At 7:41 da tarde, Blogger drakferion said...

( A minha irmã tirou um curso de 3 anos de medicina ayurvédica. ^^
>lond reading< )


A medicina tradicional, e outras "alternativices", têm muito conhecimento útil e válido.
O problema é quando -acho eu- têm pouco de científico, e assim podem ser aproveitados por pessoas menos sérias, e/ou para fins menos dignos.
Além disso, e como todas as coisas, têm fanáticos... e esses é que estragam tudo a maior parte das vezes. (Porcos! :P)

A medicina sem ser a "medicina civilizada ocidental" tem muito de válido, e pensando um pouco acabamos por concordar todos. =)
Os totó dos Maias faziam operações e cenas complicadíssimas, os xamãs índios têm conhecimentos absurdos sobre herbologia e farmacologia, e quando temos um acidente caseiro recorremos às mezinhas das nossas avós antes de recorrermos à solução genérica industrial.
(Quem não sabe nenhuma mezinha caseira que atire a primeira pedra. :P)


Este post fez-me foi lembrar dos Darwin Awards... ^^

 
At 9:14 da manhã, Blogger Joana said...

O meu problema nao e com as medicinas nao ocidentais, nem com as pessoas que as praticam com um minimo de seriedade e inteligencia, drak

 
At 7:12 da tarde, Blogger drakferion said...

Mas podia, não me importava que tivesses um mau ponto de vista para variar. :P

 

Enviar um comentário

<< Home