quarta-feira, julho 19, 2006

POIS, QUE ISRAEL SEMPRE FEZ TANTO PARA PROMOVER A EXISTENCIA DE UM ESTADO PALESTINIANO.

Isolado desde 1947, quando as Nações Unidas decidiram pela criação de dois estados na região (um israelita, outro árabe) Israel não enfrenta apenas a provocação deliberada ou pontual do Hamas e do Hezbollah. Essa provocação tem sido permanente e é ela a razão de não existir na região um estado palestiniano livre

Francisco Jose Viegas in JN

Francisco Jose Viegas esta cada vez mais parecido com Diotalevi, aquela personagem d'O Pendulo de Foucault que queria ser judeu desse la por onde desse. Parece que o nosso insigne escritor ainda nao se apercebeu destes quatro pequenos factos:
Professar uma religiao nao implica a cessacao de todo o juizo critico-ate ja houve catolicos, essas parangonas do obscurantismo, que foram chegando a essa conclusao ao longo dos seculos
Apodar de "idiota" qualquer um que nao partilhe os nossos pontos de vista nao e um argumento valido numa discussao
Condenar as accoes de um interveniente num conflito nao significa que se esteja a apoiar incondicionalmente ou a legitimar as posicoes e accoes das outras faccoes envolvidas
O Libano tambem tem estado a merce de grupos de interesse pro-Sirios e do Hezbollah

6 Comments:

At 11:27 da manhã, Blogger RAA said...

Muito bem. Tenho uma grande simpatia por Israel, o que não me impede de criticar o maquiavelismo que se está a verificar no Líbano. Aliás, o Líbano e a Palestina são as grandes vítimas da crise actual.

 
At 11:41 da manhã, Blogger Joana said...

Pois sao, principalmente a Palestina que e usada vergonhosamente como desculpa e justificacao para tudo e mais alguma coisa, quer por Israel, quer por radicais Islamicos quer pelos outros paises arabes.
Eu sei que o Francisco Jose Viegas nao costuma ser imparcial, mas este artigo de opiniao valha-me Deus...
O que e mais engracado, e que tenho colegas israelitas e um amigo judeu-americano com quem ja falei sobre isto, e os israelitas sao os que tem a posicao mais moderada-nao dizem enormidades destas, ao contrario do americano que esta todo numa de "misseis, bombas e murros nas trombas"

 
At 12:33 da tarde, Blogger papalagui said...

Não comento o FJV. Desistir de o fazer há um tempo.

 
At 12:12 da manhã, Blogger ana said...

A última vez que li um editorial deste senhor foi há anos, quando ele defendeu que os caçadores eram os ecologistas e amantes dos animais por excelência. Parei de tentar lê-lo aí, antes que lesse que os melhores maridos são os que mostram o seu amor pelas esposas com cargas de pancada, que os violadores são a última encarnação da paixão ou que os pedófilos são acima de tudo defensores da infância. Pelos vistos, ele continua coerente. Israel é o único estado que, cada vez que empreende uma acção de 'auto-defesa', aumenta as suas fronteiras. E, claro, pôr bombas num comboio é terrorismo, mas bombardear o centro de uma cidade com o propósito confesso de afugentar a população (sobrevivente) para obrigar à capitulação de uma força que nem sequer representa o país atacado é justificado. Confesso que tenho andado a fugir às notícias porque isto me põe doente, mas há alturas em que não consigo calar-me. O pior de tudo é a impotência.

 
At 2:53 da tarde, Anonymous Anónimo said...

FJV é um espertalhão. Como está bem colocado ganha prémios e tudo. Estamos na era SIC e portanto, safa-se.

 
At 1:19 da tarde, Blogger drakferion said...

A minha posição é parecida com a do excelentíssimo senhor raa...
Mas sem a simpatia por Israel.

 

Enviar um comentário

<< Home